O Economista Português

RefinariaSinesO setor energético é um dos beneficiários do orçamento para 2016

O Governo reuniu ontem em conselho de ministros pré-orçamento para  o ano eleitoral. A ministra das Finanças confirmou o que já era conhecido: a austeridade mantém-se mas será aliviada em fatias de cerca 20% anuais para os vencimentos superiores a 1500 euros auferidos pelos funcionários públicos e para a sobretaxa do IRS. O ritmo será mais rápido para a supressão da contribuição extraordinária de solidariedade, que incide sobre as pensões superiores a 1500 euros mensais. Ao mesmo tempo é anunciado que o Governo pretende cortar 600 millhões de euros nas pensões e 400 milhões com a reforma do Estado, ao todo mil milhões de euros (pelo menos). Outra má notícia: a Taxa Social Única (TSU), que tanta tinta fez correr, não será aliviada e não são anunciados diferentes estímulos fiscais ao crescimento económico. A contribuição extraordinária sobre o…

View original post 194 more words

Advertisements